Archive

Archive for November, 2013

Na velocidade da luz

November 13, 2013 1 comment

Bom, agora estou com mais tempo venho postar assuntos que eu considero interessante, um deles é para falar sobre internet de alta velocidade, ninguém como eu sabe o que é sofrer com uma conexão lenta(Diga eu e meu xbox), quem nunca esteve num jogo online e ser morto porque sua conexão não foi rapida o bastante ou travamento e lags( quem nunca jogou online, deveria experimentar e uma atividade desestressante :P). Enfim pretendo falar da tecnologia que faz uso da fibra óptica, tecnologia essa que nem eu conhecia, FTTX(Fiber-To-The-X) o x pode ser home, desktop, building, etc. E uma tecnologia que faz uso da fibra óptica acabando com o gargalo da última milha, ou seja, ao invês de termos cabos metálicos até sua residência por exemplo, teremos uma fibra óptica até sua casa. Confesso que não acreditei muito nessa tecnologia devido aos altos custos, mas creio que essa reviravolta esta se dando pela falta de recursos que a nossa infra-estrutura de rede atual nós dá, e os gargalos nos grandes backbones, alem do fato competitivo e evolução. Tudo tem que evoluir a evolução gera concorrência forçando as empresas atuais a evoluir. Quando fui chamado para trabalhar num provedor de fibra óptica, não acreditei, meu chefe falando que estava passando fibra em toda a cidade nos postes, etc. Eu pensei comigo esse cara e maluco, piro na batatinha 😛 mas eu vi que o negócio era sério. Descobri que existe uma luz no fim do tunel. 😛 Vou as poucos expondo a tecnologia, colocando as expectativas que ela traz e benefício e funcionamento. Com o crescimento exponencial da necessidade de velocidade cada vez maiores de internet, devido a quase tudo hoje estar conectado, celular, computador, tablets, etc. A demanda por conexões de alta velocidade traz uma nova tendência e a tecnologia FTTX/GEPON vem para atender essa demanda. O último relatório do akamai revelou que a média de internet no mundo fica entre 2M sendo a coreia do sul é o top do mundo, sendo que eles possuem uma rede toda FTTX.

http://www.akamai.com/stateoftheinternet/

speed_internet_world

O sistema com fibra óptica consiste de um equipamento que recebe os sinais opticos chamado OLT(Optical Line Terminator) na ponta ou na casa do assinante temos outro equipamento chamado ONU ou ONT(Optical Network Unit / Optical Network Terminator). Através de um dispositivo SPLITTER e possível dividir um fio de fibra em x clientes. O objetivo da rede FTTX e reduzir a quantidade de fibras, Um exemplo uma única porta da OLT pode atender 64 clientes com uma única fibra óptica capaz de atender até 2G de velocidade, e esta vindo no mercado OLT de 10G não homologado pelo Anatel(ainda). Sendo assim o futuro dos jogos online e promissor  🙂 .

A tecnologia FTTX também recebe o nome de PON ( Passive Optical Network ) uma rede multiponto usando fibra óptica. Existem tipos de PON(Segundo a maioria das documentações).

  • EPON
  • GPON
  • GEPON

EPON

É um padrão IEEE(802.3ah) que usa Ethernet para o envio de pacotes de dados.Transporta os dados encapsulados em quadros ethernet. velocidades de até 1G/s.

GPON

GPON (Gigabit PON) é a evolução da banda larga EPON padrão. Consegue taxas de 1G/s full duplex, Alcance de 20Km, multiplexação ate 64 usuários.

GEPON

GEPON (Gigabit Ethernet PON) é um padrão IEEE que usa Ethernet para o envio de pacotes de dados, o GEPON e equivalente ao EPON uma evolução assim como ethernet e fastethernet, gigabitethernet. GEPON usa 2,5 G/s taxas de upstream e downstream.

Diferenças entre GEPON and GPON:

A principal diferença que faz o GEPON ser a melhor escolha, é a velocidade de simetria. A velocidade GPON é em torno de 1.25 Gbps de upload e 2.25 Gbps de download, já o padrão GEPON opera com taxa de 2.5 Gbps simétricos.

             GPON é baseado na tecnologia ATM, GPON utiliza tecnologia Ethernet e GEPON suporta ATM, Ethernet and WDM.

GEPON ainda está evoluindo, é amplamente utilizado na Ásia e usa Ethernet como meio, o qual simplifica tempo e reduz os custos, A complexidade e o custo são mais baixo é inferior a GPON. GEPON tem uma vantagem de custo de instalação (acho que por isso a tecnologia DOCSIS, utilizada por operadoras como a NET não se adotam em larga escala, o custo é um fator impactante, e o FTTX e custo é menor, sendo por isso a adoção nos países da ásia e europa).

            GEPON Suporta Class of Service (CoS) para transferencia de video e voz.

Quando comparado ao GPON, o GEPON e altamente escalavel e flexivel, existe relato de serviços operando com GEPON com mais de 2.300 clientes.

tabela_xponssite telecom.com.br

VANTAGENS DO GEPON:

  • Atenuação baixa;
  • Altas taxas de transmissão;
  • Imunidade contra interferência eletromagnética;
  • Acoplamento óptico, eliminando a necessidade de aterramento entre o transmissor e receptor;
  • Bom nível de segurança e privacidade da informação transmitida;
  • Boa relação custo por unidade de informação transmitida.

Topologia de uma rede FTTX. Um detalhe a OLT é uma placa que acoplaca ao chassis.

rede_fttx

Att.

Categories: Uncategorized

VMWare arrumando o guarda roupa

Ola como ultimamente estou com um pouco de tempo vou colocar aqui as tecnologias que sempre preciso relembrar 🙂

Nesse post vamos verficiar como o vmware faz o armazendo dos seus dados, os tipos de discos. Aprendi muito graças ao post do blog do Igor Seiji(Valeu Seiji) http://igorseiji.info/2012/02/15/qual-tipo-de-disco-escolher-para-criar-uma-maquina-virtual-no-vmware-vsphere-5/

Bom eu sou bem direto, vamos ao que interessa, o vmware trabalha com 2 tipos de discos(não diria bem tipos :P):

  • Thin – Aloca espaço do disco somente o que precisa, se criarmos um disco virtual de 200G para uma maquina virtual onde vou instalar um linux e a instalação do linux ocupar 10G, meu disco virtual irá ocupar somente 10G no meu HD ou storage.
  • Thick – Aloca tudo mesmo não precisando, ou seja se criar um disco virtual de 200G para uma máquina virtual o tamanho no HD ou storage do disco virtual será de 200G, mesmo a instalação utilizando apenas 10G.

O tipo Thick ainda possue 2 tipos subtipos:

  • Thich Lazy Zeroed – É o modo padrão utilizado pelo vmware, ele ocupa somente o espaço utilizado. Vamos a um exemplo: Se criarmos um disco virtual de 200G para uma maquina virtual qualquer, e a instalação ocupar 10G, temos disponivel para o sistema operacional da máquina virtual ainda 190G, conforme for sendo utilizado os 190G ele vai fazendo o zeroing(Ato de escrever o disco virtual com zeros para garantir que não dados escritos no disco).
  • Thick Eager Zeroed – Este metodo e parecido com o lazy zeroed com a diferença que ele faz o zeroing na criação na máquina virtual, isso consequentemente deixa a criação da máquina virtual mais demorada, em contrapartida terei mais performance, visto que não terei que fazer o zeroing na escrita de dados.

Att.

Categories: Uncategorized

Linuxes, parceiros ate no ssh :)

Sempre esqueço esse procedimento. Então vou colocar aqui para nunca mais esquecer 😛

Segue o ambiente proposto.ssh_semsenha

O servidor A ira conectar no servidor B sem senha. Então  vamos ao procedimento correto.

Antes vamos tentar o acesso

serverA:~# ssh suporte@192.168.0.11
The authenticity of host ‘192.168.0.11 (192.168.0.11)’ can’t be established.
RSA key fingerprint is 64:52:f0:f2:54:6d:c1:f7:37:24:a7:a7:48:7b:39:4d.
Are you sure you want to continue connecting (yes/no)?
serverA:~#

Procedimento Servidor A.

Quando rodar o comando ele vai pedir uma senha, apenas digite enter para a senha e confirmação.

serverA:~# ssh-keygen -t rsa
Generating public/private rsa key pair.
Enter file in which to save the key (/root/.ssh/id_rsa):
Enter passphrase (empty for no passphrase):
Enter same passphrase again:
Your identification has been saved in /root/.ssh/id_rsa.
Your public key has been saved in /root/.ssh/id_rsa.pub.
The key fingerprint is:
e4:92:34:95:79:ad:16:d0:f9:bc:c5:f7:5f:70:5b:45 root@serverA
serverA:~#

Agora vamos copiar a chave publica para o servidor B.

serverA:~# scp /root/.ssh/id_rsa.pub suporte@192.168.0.11:/tmp/

Procedimento Servidor B

Agora no servidor B copiamos a chave pública e colocamos no diretorio oculto .ssh dentro do diretorio pessoal do usuário em questão como “authorized_keys2”

serverB:~# cp /tmp/id_rsa.pub ~/.ssh/authorized_keys2

Agora no servidor A fazemos o teste de conexão 🙂

serverA:~# ssh suporte@192.168.0.11

Detalhe isso so funcionara por usuário.

Att.

Categories: Linux