Archive

Archive for November, 2013

VMWare arrumando o guarda roupa

Ola como ultimamente estou com um pouco de tempo vou colocar aqui as tecnologias que sempre preciso relembrar 🙂

Nesse post vamos verficiar como o vmware faz o armazendo dos seus dados, os tipos de discos. Aprendi muito graças ao post do blog do Igor Seiji(Valeu Seiji) http://igorseiji.info/2012/02/15/qual-tipo-de-disco-escolher-para-criar-uma-maquina-virtual-no-vmware-vsphere-5/

Bom eu sou bem direto, vamos ao que interessa, o vmware trabalha com 2 tipos de discos(não diria bem tipos :P):

  • Thin – Aloca espaço do disco somente o que precisa, se criarmos um disco virtual de 200G para uma maquina virtual onde vou instalar um linux e a instalação do linux ocupar 10G, meu disco virtual irá ocupar somente 10G no meu HD ou storage.
  • Thick – Aloca tudo mesmo não precisando, ou seja se criar um disco virtual de 200G para uma máquina virtual o tamanho no HD ou storage do disco virtual será de 200G, mesmo a instalação utilizando apenas 10G.

O tipo Thick ainda possue 2 tipos subtipos:

  • Thich Lazy Zeroed – É o modo padrão utilizado pelo vmware, ele ocupa somente o espaço utilizado. Vamos a um exemplo: Se criarmos um disco virtual de 200G para uma maquina virtual qualquer, e a instalação ocupar 10G, temos disponivel para o sistema operacional da máquina virtual ainda 190G, conforme for sendo utilizado os 190G ele vai fazendo o zeroing(Ato de escrever o disco virtual com zeros para garantir que não dados escritos no disco).
  • Thick Eager Zeroed – Este metodo e parecido com o lazy zeroed com a diferença que ele faz o zeroing na criação na máquina virtual, isso consequentemente deixa a criação da máquina virtual mais demorada, em contrapartida terei mais performance, visto que não terei que fazer o zeroing na escrita de dados.

Att.

Advertisements
Categories: Uncategorized

Linuxes, parceiros ate no ssh :)

Sempre esqueço esse procedimento. Então vou colocar aqui para nunca mais esquecer 😛

Segue o ambiente proposto.ssh_semsenha

O servidor A ira conectar no servidor B sem senha. Então  vamos ao procedimento correto.

Antes vamos tentar o acesso

serverA:~# ssh suporte@192.168.0.11
The authenticity of host ‘192.168.0.11 (192.168.0.11)’ can’t be established.
RSA key fingerprint is 64:52:f0:f2:54:6d:c1:f7:37:24:a7:a7:48:7b:39:4d.
Are you sure you want to continue connecting (yes/no)?
serverA:~#

Procedimento Servidor A.

Quando rodar o comando ele vai pedir uma senha, apenas digite enter para a senha e confirmação.

serverA:~# ssh-keygen -t rsa
Generating public/private rsa key pair.
Enter file in which to save the key (/root/.ssh/id_rsa):
Enter passphrase (empty for no passphrase):
Enter same passphrase again:
Your identification has been saved in /root/.ssh/id_rsa.
Your public key has been saved in /root/.ssh/id_rsa.pub.
The key fingerprint is:
e4:92:34:95:79:ad:16:d0:f9:bc:c5:f7:5f:70:5b:45 root@serverA
serverA:~#

Agora vamos copiar a chave publica para o servidor B.

serverA:~# scp /root/.ssh/id_rsa.pub suporte@192.168.0.11:/tmp/

Procedimento Servidor B

Agora no servidor B copiamos a chave pública e colocamos no diretorio oculto .ssh dentro do diretorio pessoal do usuário em questão como “authorized_keys2”

serverB:~# cp /tmp/id_rsa.pub ~/.ssh/authorized_keys2

Agora no servidor A fazemos o teste de conexão 🙂

serverA:~# ssh suporte@192.168.0.11

Detalhe isso so funcionara por usuário.

Att.

Categories: Linux